Lançamento do livro “O jardim de Alice”

No próximo dia 12 de outubro, dia da criança, domingo, a Evolucin irá promover um dia especial com diversas comemorações abertas ao público. Entre diversas apresentações, que incluem desde vídeos até teatro infantil, destaca-se o lançamento do livro “O jardim de Alice” de autoria da consciencióloga Aline Niemeyer. A obra é de temática infantil com teor projetivo e está repleta de ilustrações. Para falar mais sobre esse lançamento, a autora concedeu entrevista para o Portal da Conscienciologia.

Entrevista

1. Atualmente você voluntaria na Comunicons, em Foz do Iguaçu e também na Evolucin, mas iniciou o voluntariado no IIPC RJ. Poderia nos contar sobre sua trajetória na Conscienciologia?

Aline Niemeyer: Comecei a voluntariar no IIPC no Rio de Janeiro no final de 2001, em um momento de mudança quando a sede em Ipanema passava para a Barra da Tijuca. Lembro que minha primeira atuação no voluntariado foi a de conseguir caixas de papelão para uso na mudança. Depois voluntariei na área de Eventos e no Jurídico do IIPC, de lá pra cá, já passei por outras áreas do IIPC e também por outras ICs, como Unicin, Assinvéxis, Editares e Holoteca (CEAEC). Hoje sou coordenadora de voluntariado na Comunicons e recentemente voluntario na Agência de Notícias do Portal da Conscienciologia, também da Comunicons. Na Evolucin comecei a voluntariar esse ano, mas tive que me afastar para priorizar o livro, O Jardim de Alice.

2. Seu primeiro livro foi escrito em conjunto com o Evaldo Buttura e trata da biografia do cientista Moisés Bertoni. Como foi a escrita dessa obra e os principais aprendizados?

Aline Niemeyer: A escrita foi muito prazerosa. Exigiu um grande esforço de objetividade, pois pela história de vida e ampla produtividade do cientista Moisés Bertoni, resumir tudo em um só livro foi difícil. Os aprendizados foram muitos. A determinação e o exemplarismo de Bertoni, até hoje, me influenciam positivamente, pois ele conseguiu produzir diversas obras (mais de 350) superando dificuldades e adversidades. Com o coautor Evaldo Buttura, tive a oportunidade de conviver com uma extensa experiência de vida e com a ousadia de um imigrante italiano, além de cultivar uma grande amizade com ele e sua família. Foi uma parceria inesquecível.

3. No dia 12 de outubro, dia das crianças, seu novo livro será lançado, O Jardim de Alice, pela Epígrafe Editorial. Qual foi sua motivação para escrevê-lo?

Aline Niemeyer: Três fatores foram determinantes: um foi o rapport com as crianças, a começar sou tia de 8 sobrinhos, outro a necessidade de publicações da Conscienciologia para o público infantil e o terceiro a vivência de uma projeção lúcida onde me recordo de volitar em um jardim, ao acordar tive a ideia de escrever um livro infantil com a temática de Jardim e nesse momento aproveitei para registrar tudo o que me vinha a mente.

4. Qual o público alvo e o que os leitores encontrarão na obra?

Aline Niemeyer: Além das crianças, penso que pais, educadores e psicólogos da área infantil.

5. Como foi a experiência de escrever um livro voltado à temática infantil?

Aline Niemeyer: Aprendi muito. A princípio, pode parecer fácil escrever uma obra para esse público, mas é preciso se transportar para o universo da criança, pensar como ela pensaria e a forma como ela se expressa. É preciso fazer com que não só as palavras expliquem a história, mas também que as imagens complementem e enriqueçam as mensagens. Neste aspecto, tive a grande ajuda dos ilustradores Pedro Marcelino e Dessirée Biskup. Também não posso deixar de agradecer aos amigos evolutivos Ernani Brito, Gisele Salles e Rose Salles da Epígrafe Editorial pelo auxílio na revisão.

6. Dentro do paradigma consciencial, considera-se a participação de amparadores extrafísicos na escrita das gescons. Há algum momento específico que poderia compartilhar com os leitores?

Aline Niemeyer: Sim, brinco que as ideias de ponta nos são dadas pelo Cosmos, basta estarmos atentos para pegá-las. Bom, sou muito grata a ajuda extrafísica de amparadores no processo da escrita desta gescon. Tive desde insights de ideias até um aumento de projeções lúcidas voltadas para assistência às crianças e maior interação extrafísica com as energias imanentes.

7. De que forma as pessoas podem ter acesso ao Jardim de Alice? Onde e quando será o lançamento?

Aline Niemeyer: O livro será vendido na livraria Epígrafe e também pelo site da Shopcons.
O lançamento do livro será no dia 12 de outubro (Dia da Criança), domingo, às 18h30 no Discernimentum, na Av. Felipe Wandscheer, 5.100, Cognópolis, Foz do Iguaçu, PR.

8. Pretende itinerar levando-o a outras localidades do Brasil e até do Exterior?

Aline Niemeyer: Sim, pretendo itinerar dentro e fora do Brasil com o livro. Estou muito feliz e grata, pois antes mesmo do lançamento, já tem gente que se ofereceu como voluntário para traduzir o livro para o francês e o alemão.

9. Há várias atividades voltadas à escrita no CEAEC, dinâmicas, minitertúlias, tertúlias, laboratórios, entre outros. O que você recomenda às pessoas interessadas em desenvolver o trafor da escrita?

Aline Niemeyer: Primeira recomendação é dar valor às ideias e registrá-las. Outra é investir em atividades que possam auxiliar na escrita, como as citadas acima. Também traçar a mensagem principal que a gescon pretende passar, resumi-la em no máximo 3 linhas, para servir de eixo direcionador de pesquisas e leituras.

10. Sobre seus hábitos de leitura e escrita, o que mais tem lhe ajudado a sistematizar essas rotinas?

Aline Niemeyer: Ainda preciso melhorar meus hábitos de leitura e escrita. Bom, mas o que vem me ajudando a aprimorar a leitura, é conseguir ler e, em seguida, refletir sobre o que li. Se estou cansada para refletir, não leio, pois dessa forma a leitura é inútil e perdemos tempo. A leitura com a reflexão dinamiza a escrita. Também abro espaço mental para em qualquer lugar ter ideias sobre o livro e registrá-las, por isso é tão comum carregar blocos de anotações na bolsa e ir a papelaria com frequência para comprá-los.

11. Algo mais?

Aline Niemeyer: Penso que a escrita está no nosso dia a dia, busco aprender com tudo. Não é um bicho de sete cabeças, mas requer esforço e motivação de interassistir pelas gescons.

O lançamento e outras atividades irá ocorrer no dia 12 de outubro (Dia da Criança), domingo, às 18h30 no Discernimentum, na Av. Felipe Wandscheer, 5.100, Cognópolis, Foz do Iguaçu.

Lançamento da obra "O jardim de Alice"
Programação da Evolucin

*Por Eliane de Pinho